COMO ANDAR NO ESPÍRITO

 

PRIMEIRO DEVEMOS SER TRANSFORMADOS PELO

ESPÍRITO SANTO

 

O segredo do cristão que quer ser transformado pelo Espírito está em deixar-se primeiramente encher-se pelo mesmo Espírito Santo, não apenas esporadicamente, mas continuamente, sempre.

Muitas pessoas ficam desanimadas ou se desinteressam por pensarem que a plenitude do Espírito Santo só se alcança uma vez, entretanto São Paulo nos ensina em Efésios 5,18 que devemos estar cheios do Espírito Santo continuamente (ler Ef 5,18 e comparar a vida dos apóstolos com vários pentecostes. Atos 2,1ss; Atos 4,23ss; Atos 10,44ss).

Uma tradução literal do texto comentado seria assim: “Estejam sendo cheios continuamente do Espírito Santo” (Exemplo: uma mangueira de borracha cheia de água continuamente passando per ela.

 

Este texto é paralelo ao de Gálatas 5,16 “Deixai-vos conduzir pelo Espírito e não satisfareis os apetites da carne”.

 

A satisfação dos desejos de nossa natureza humana é uma demonstração externa de que, interiormente, não estamos cheios do Espírito Santo.

 

A cura, para esses nossos desejos, de satisfazer a vontade de nossa natureza humana é andar no Espírito, que não é a mesma coisa de que estar cheio do Espírito. O andar no Espírito depende da plenitude do Espírito, mas essas expressões não      significam a mesma coisa.

 

COMO ENCHER-NOS DO ESPÍRITO SANTO

 

-  Em poucas palavras, os passos para a plenitude do Espírito Santo são os seguintes:

 

1) Examine-se e confesse todo pecado conhecido – 1 Jo 1,9

 

2) Submeta-se inteiramente a Deus – Rm 6,11-13

 

3) Peça a plenitude do Espírito Santo – Lc 11,13

 

4) Aproprie-se da promessa de Deus e creia que já recebeu essa plenitude – Rm 14,23.

 

5) Agradeça ao Espírito Santo pela sua plenitude e repita isso cada vez que reconhecer seu   

    pecado.

-  Em primeiro lugar, antes de tudo, desejar ardentemente a plenitude do Espírito Santo.

 

Tudo parece simples demais, mas é preciso que sejamos como crianças – não sou digno, etc.;  

   não houve mudança imediata na vida – pecado de estimação, auto domínio etc.

 

Como se encher do Espírito na comunidade

Efésios 5, 18-20 (tradução Paulinas): “Não vos embriagueis com vinho que é a fonte da devassidão, mas enchei-vos do Espírito, recitando entre vós salmos, hinos e cânticos espirituais. Cantando e celebrando de todo coração os louvores do Senhor, rendendo graças, sem cessar e por todas as coisas, a Deus Pai em nome do nosso Senhor Jesus Cristo”.

 

Neste texto, constatamos que o escritor explica como devemos proceder nas comunidades de oração para ficarmos cheios do Espírito Santo: “Enchei-vos do Espírito Santo, recitando entre vós…”

Como andar no Espírito

 

Como recebemos um mandamento para encher-nos do Espírito Santo, recebemos, também, da Palavra de Deus, orientações para andarmos no Espírito: “Deixai-vos conduzir pelo Espírito Santo” Gal 5,16. Desde que isso é mandamento divino não precisamos complicar as coisas, porque Deus quer acertar e renovar nossas vidas e não confundi-las.

 

Devemos ficar atentos à expressão do Apóstolo Paulo “Deixai-vos conduzir”. É missão do Espírito Santo dirigir a nossa vida, por isso, só devemos ser dóceis à Sua ação.

 

Vejamos o que aconteceu com Jesus após seu batizado no Jordão: “Quando todo o povo ia sendo batizado, também Jesus o foi e estando Ele a orar, o céu se abriu, e o Espírito Santo desceu sobre Ele em forma corpórea de uma pomba” (Lc 3,21).

 

Cheio do Espírito Santo voltou Jesus ao Jordão e foi levado (conduzido) pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo Demônio (Lc 4,1-2).

 

É bom que tomemos conhecimento que Jesus em nenhum momento, exerceu seu ministério, se prevalecendo de sua igualdade com Deus. Tudo o que fez foi no poder do Espírito Santo (Fil 2,6-11).

 

As orientações seguintes poderão ser instrumentos para a vitória no nosso dia a dia.

 

1) Façamos da plenitude do Espírito Santo uma prioridade de cada dia:

 

Não poderemos andar no Espírito a não ser que sinceramente desejemos isto, e a não ser que ele passe a nos possuir (encher-nos).

 

É da nossa experiência pessoal que os velhos hábitos sempre voltam furtivamente a nos perseguir se nos acomodamos (não vigiamos). Assim poderemos contribuir para satisfazer os desejos da nossa natureza humana.

 

Sejamos honestos: a luxúria, o medo, a preocupação, a autopiedade, a ira, etc, estão sempre nos assediando, e se permitirmos, tomarão conta do nosso coração e o resultado final será terrível.

 

Somente quando desejarmos, consciente e inconscientemente, a plenitude do Espírito Santo, mas do que qualquer coisa no mundo é que estaremos dispostos a colocar de lado nossos sentimentos pecaminosos, contando, naturalmente, com a graça de Deus.

 

Poderemos fazer-nos a seguinte pergunta: quantas prioridades poderemos cumprir na nossa vida sem o Espírito Santo? Naturalmente a

 

resposta será: nenhuma. Quando essa verdade tomar conta da nossa mente e do nosso coração, estaremos a caminho de andar no Espírito.

 

2) Devemos exercitar nossa vigilância em relação ao pecado

 

Sabemos que o pecado bloqueia o poder do Espírito Santo em nossas vidas. No momento em que tomamos consciência de qualquer pecado, devemos de imediato confessá-lo (lembremo-nos que o Espírito Santo é quem nos dá a graça do arrependimento e quem nos mostra os

nossos pecados. Devemos pedir a Ele que nos revele para que o confessemos, (1 Jo 1,9).

Ao agirmos assim, o tempo decorrido entre o entristecimento do Espírito Santo e o perdão são mínimos. Essa confissão direta a Deus não dispensa o sacramento da penitência quando se trata de pecado grave. Necessitamos da graça sacramental que contribui de uma maneira especial para andarmos no Espírito.

 

3) Devemos ler e aprofundar diariamente a Palavra de Deus

 

Pelo que temos lido e observado, podemos afirmar que é impossível para o cristão “andar no Espírito” se não tiver o hábito de se alimentar com a Palavra de Deus regularmente. Podemos dizer que uma das razões que os cristãos não vêem os acontecimentos da vida da mesma forma como Deus o faz, é pelo fato de não conhecerem o caminho de Deus através da Sua Palavra.

 

Se porventura temos sentimentos mundanos e carnais é porque nos alimentamos com a “sabedoria do mundo”. Se alimentarmos nossas mentes com a Palavra de Deus, sentiremos aquilo que o Espírito Santo sente, quanto às questões da vida (II Tm 3,15-18).

 

Devemos estar cientes que nossas mentes deverão ser reorientadas (renovadas) da sabedoria humana para a sabedoria divina, e isso leva muito tempo, razão porque a leitura e o aprofundamento da Palavra de Deus deve ser diária (Cf. Tg 1,5-8 e 3,13-18).

 

 

 

 

 

 

4) Devemos nos alimentar, se possível, diariamente com o Corpo do Senhor (Eucaristia)

 

“Se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o Seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos” (Jo 6,53). Quando recebemos Jesus na Eucaristia, Ele nos transmite Seu Espírito Divino, nos proporcionando a vida abundante que transforma e renova.

Na celebração Eucarística podemos esperar ser curados cada vez que comemos o Corpo do Senhor – curados fisicamente e espiritualmente e fortalecidos para enfrentar os relacionamentos daquele dia com a sabedoria, o amor e a força de Jesus, que nos é comunicado pelo Espírito Santo.

Finalmente, na Eucaristia, somos levados a uma união pessoal mais profunda com Aquele que é o Senhor de nossas vidas.

 

5) Devemos evitar entristecer o Espírito Santo

 

A precaução que devemos ter para não entristecer o Espírito Santo, é uma extensão do que falamos no item 2, que é “ficarmos vigilantes com relação ao pecado”.

 Na Carta ao Efésios (4,30-32), São Paulo deixa bem claro que todas as formas de divisão (falta de unidade), agressividade, incluindo a ira, a amargura, a inimizade, entristecem o Espírito Santo.

 

 Todos nós que tivermos temperamentos violentos e tendência para a ira devemos guardar esses versículos na nossa mente e coração, para servirem de estímulos e ficarmos preparados para essas ocasiões.

 

Tão logo tomarmos consciência que entristecemos o Espírito Santo devemos de imediato confessar nossos pecados, para que possamos, de imediato, voltar ao estado de Graça (presença de Deus em nós).

 

6) Devemos evitar extinguir a ação do Espírito Santo. (abafar)

 

São Paulo nos fala em I Tess 5,16-19, que não devemos extinguir (abafar) o Espírito Santo.

Isso significa que, se nós duvidamos d’Ele e não permitimos que opere em nossas vidas, nós extinguiremos Sua ação em nós.

 

As principais atitudes de nossa parte que abafam o Espírito Santo são: o medo, a preocupação e a dúvida.

 

Se em nosso íntimo murmuramos, nos queixamos ou criticamos, já extinguimos a ação do Espírito Santo (Fl 2,14).

 

Entretanto tudo isso pode ser corrigido imediatamente se estivermos dispostos a reconhecer que nossos queixumes são conseqüências do medo e das nossas preocupações.

Diante desse reconhecimento devemos pedir a Deus que modifique nossos hábitos e que nos conceda a plenitude no Espírito Santo.

 

É bom esclarecer que não há vantagem nenhuma viver sem preocupação quando não há nada com que se preocupar. A vitória está em poder encarar os problemas que normalmente nos causam preocupações, sem nos preocuparmos com ele.

 O fato de ser cristão não isenta ninguém das dificuldades da vida. Jesus nos avisou que no mundo teríamos preocupações e a Palavra de Deus nos afirma que Deus nos prova para fortalecer nossa fé ( I Pe 1,3-9).

 Muitos cristãos desistem quando procuram com seu próprio esforço remover as tribulações em vez de obedecerem o Espírito Santo.

 

Todos nós devemos guardar o textos de Felipenses 4,6-7. Estes versículos indicam que toda oração deve ser acompanhada de ações de graças. É incompreensível as pessoas orarem dando graças e continuarem carregando os fardos que tinham antes.

 

Se nosso costume é preocuparmo-nos ou queixarmo-nos, acabaremos por descobrir que não somos muito agradecidos a Deus. É necessário que aprendamos sermos gratos a Deus para andarmos no Espírito.

 

 

 

 

 

O segredo que nos leva a uma atitude de ação de graças é conhecer intimamente a Deus, como ele é, Se revelando na Sua Palavra. Esse conhecimento requer o que dissemos no item 3: ler e aprofundar na

 

Palavra de Deus. Quando nossa fé for firmada na Palavra de Deus, será fácil dar graças (Rm 8,28-39), ainda assim trata-se de um ato de vontade.

 

 

Se nós ainda não aceitarmos a direção completa de Deus para nossa vida, nós nos queixaremos porque duvidaremos que as coisas poderão correr bem.

 

A dúvida apaga a ação do Espírito Santo e nos desvia do verdadeiro crescimento.

 

Sugestões práticas:

 

Embora o exercício mental seja importante em todo e qualquer momento, ele é de suma importância duas vezes por dia: quando nos deitamos e quando nos levantamos. É muito importante orar com gratidão e em tudo dar graças, assim como ler as Escrituras à noite.

 

Sendo difícil esse horário, há outra hora estratégica para dar graças é fazê-lo em primeiro lugar pela manhã.

 

Depois de iniciar o dia com louvor, entreguemo-nos a Deus conforme Rm 11,13.

Ao começarmos o nosso dia poderemos dizer ao Senhor: estamos dispostos a partilhar nossa fé com os necessitados que Ele nos enviar.

 

 Entregamos nossa língua e nossos lábios ao Espírito Santo para que Ele os use quando quiser. Nossas mentes e nossos corações abertos a qualquer moção do Espírito Santo.

 

Andemos no Espírito Santo e produziremos frutos para Deus. No momento em que sentirmos que entristecemos o Espírito Santo, confessemos nossos pecados, e mais uma vez peçamos a Jesus a plenitude do Espírito Santo. Se seguirmos esses passos seremos realmente transformados pelo Espírito Santo.

 

 

Sebastião Bernardino da Costa.

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>