PORQUE EVANGELIZAR

 

     Nesta nossa caminhada. dentro da Igreja, recebemos o mesmo encargo que Jesus deu a Pedro (Lc 22,32 ) de reconfortar nossos irmãos na missão de evangelizadores, a fim de que, nesses tempos de incerteza e de desorientação, eles o desempenhem cada vez mais com amor, zelo e alegria.  Quando Jesus aplicou sobre si as palavras do profeta Isaías:

 “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me conferiu a unção; a anunciar a boa nova aos pobres me enviou”,

Ele recebeu do Pai o envio de Evangelizar, isto é, anunciar a Boa Nova do reino de Deus.

 Jesus, o Evangelho de Deus foi o primeiro e o maior dos evangelizadores.

 Ele foi isso mesmo até o fim, até a perfeição, até o sacrifício de sua vida terrena.

 

O anúncio do Reino de Deus.

 

      Como evangelizador, Cristo anuncia em primeiro lugar o Reino de Deus, e tudo o mais passa a ser o resto, que é dado por acréscimo.

 

O anúncio da salvação libertadora.

 

     Como centro de sua Boa Nova, Cristo anuncia a Salvação, esse grande Dom de Deus que é a libertação de tudo aquilo que oprime o homem, e que é libertação, sobretudo do pecado e do maligno, na alegria de conhecer a Deus e de ser por Ele conhecido, de o ver e de se entregar a Ele.

 

À custa de um esforço de conversão.

 

     Este Reino e esta salvação são palavras chaves da evangelização de Jesus, todos os homens os podem receber como graça e misericórdia, sendo que cada um dos homens deve conquistá-los, pelo trabalho e pelo sofrimento, por uma vida de acordo com o Evangelho, pela renúncia e pela cruz, enfim pelo espírito das bem-aventuranças.

Somente com uma modificação profunda o homem consegue conquistá-los.

 

Pregação infatigável.

 

     Cristo realiza esta proclamação do reino por meio da pregação infatigável. Quando pregava, ouvia-se dizer:

 Eis uma doutrina nova, ensinada com autoridade. Todos o elogiavam e admiravam das palavras cheias de graça que saíam da sua boca.  Jamais alguém falou como este homem. 

As suas palavras desvendavam o segredo de Deus, o seu desígnio e a sua promessa, e modificavam por isso mesmo o coração dos homens e o seu destino.

 

Também com sinais.

 

     Enfermos curados, água transformada em vinho, pão multiplicado e mortos que tornam à vida.

Os pequeninos, os pobres são evangelizados, tornam-se seus discípulos, reunem-se em seu nome na grande comunidade daqueles que acreditam nele.

Para uma comunidade evangelizada e evangelizadora

 

     Aqueles que acolhem com sinceridade a Boa Nova, reunem-se em nome de Jesus para juntos buscarem o Reino, para edificá-lo e para o viver.

Eles constituem uma comunidade evangelizadora.

A ordem dada aos doze – Ide pregai a Boa Nova, continua a ser válida para todos os Cristãos.

É um povo trazido à salvação para tornar conhecidas as maravilhas de Deus.

 

Evangelização, vocação própria da Igreja.

 

     A Igreja sabe que a palavra de Jesus: Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus.   É aplicada a ela com toda a verdade.

Assim ela pensa como S.Paulo:

Não tenho de fato, de que me gloriar se eu anuncio o Evangelho; é um dever este que me incumbe, e ai de mim, se eu não o pregasse.

A tarefa de evangelizar todos os homens constitui uma missão essencial da Igreja e é a sua mais profunda identidade.

Ela existe para evangelizar, para pregar e ensinar, ser o canal do Dom da graça, reconciliar os pecadores com Deus e perpetuar o sacrifício de Cristo na Missa.

 

Laços de união entre a Igreja e a evangelização.

 

A Igreja nasce da ação evangelizadora de Jesus e dos doze.

Ide, pois, ensinai todas as gentes. Ora aqueles que acolheram a Palavra foram batizados, e naquele dia agregaram-se a eles umas três mil pessoas… e o Senhor ia aumentando todos os dias os que eram salvos.

Enviada e evangelizadora, a Igreja envia ela própria evangelizadores.

É ela que coloca em seus lábios a palavra que salva, que lhes explica a mensagem de que ela mesma é depositária, que lhes confere o mandato que ela própria recebeu, e que enfim os envia a pregar o Evangelho de Jesus Cristo.

 

 A Igreja inseparável de Cristo.

 

Existe uma ligação profunda entre a Igreja, Cristo e a evangelização.

Durante este tempo, da Igreja, ela é que tem a tarefa de evangelizar, e esta tarefa não se realiza sem ela e menos ainda, contra ela.

Como se poderia amar Cristo sem amar a Igreja, uma vez que o mais belo testemunho dado de Cristo é o que S. Paulo fala:

Ele amou a Igreja e entregou-se a si mesmo por ela?

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>