Instruídos pelo Mestre – palestra

 

a) Assim como os mestres de Israel, Jesus era itinerante, não tinha onde reclinar a cabeça.
b) Ele é que escolhia os discípulos. “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi a vós” (Jo, 15,16) começamos a diferenciar o método de Jesus dos demais mestres de Israel, ele não era escolhido pelos discípulos e sim escolhia os discípulos.
c) Diferentemente dos outros mestres ele não discriminava, acolhia a todos, crianças, mulheres, pecadores, todos eram bem-vindos.  “Os doze estavam com Ele, como também algumas mulheres” (Lc 8,2), “Deixai vir a mim as criancinhas” (Mt 18,16).
d) Os seus discípulos não recebem prestígio, fama ou qualquer honra, pelo contrário são perseguidos e caluniados como o mestre.(Mt 5,11), “Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem…….. pôr causa de mim”.
e) O discipulado de Jesus não é provisório e sim permanente. “Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não é apto para o reino”. (Lc 9,62).
f) Os discípulos de Jesus não eram considerados como servos, mas como amigos. “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto o ouvi de meu Pai”.  (Jo, 15,15).
O título de Mestre foi um dos poucos títulos que Jesus atribui a si mesmo, “Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou”.  

 Jesus tinha consciência que era um mestre, pois era realidade que ele vivia e sabia muito bem o que era ser um Mestre e durante três anos conviveu com seus discípulos, dia e noite estavam juntos explicando em particular tudo o que eles não tinham entendido. Jesus consagrou três anos de sua vida para a formação dos doze e para transformá-los não, em apenas discípulos, mas em formadores de discípulos e esta foi a chave do sucesso de Jesus, pois se Ele houvesse formado apenas discípulos a sua obra não teria chegado até nós, mas ele preocupou em formar formadores, pessoas que fossem capazes de formar outros e assim ainda hoje a sua missão continua através de cada um de nós.

Acreditamos assim, que com esta idéia do contexto da época de Jesus fica mais fácil para nós entendermos esta relação de Mestre-Discípulo e ao mesmo tempo entender o que Jesus quer de nós como discípulos, é óbvio que não vamos viver esta relação nos mesmos moldes daquele tempo, mas os mesmos princípios, a fundamentação não pode ser mudada.
Também é importante alertarmos para o fato que o discípulo é sobretudo um homem que quer viver a vida de seu Mestre e daí a necessidade dele aprender o estilo de vida do mestre, pois do contrário, ele não será discípulo de verdade, e nós não estamos interessados em apenas formar discípulos, mas sobretudo em formar discípulos que sejam no futuro formadores de outros.

Mais do que teorias ou doutrinas, um mestre ensinava a sabedoria de viver retamente, encontrando o sentido da existência e a forma de cumprir a própria vocação. Neste sentido, o mestre chegava a ser mais importante que o próprio pai, já que o pai dava somente a vida enquanto o mestre ensinava a vivê-la. Para um hebreu era muito mais importante “saber viver” do que viver. O mestre não baseava seu ensino em teorias. O que ensinava era própria vida. Pôr isso os discípulos tinham que conviver com seus mestres, já que era observando-o que aprendiam a viver. Deste modo, em torno do mestre formava-se uma família.

 

 

EXAME DE ADMISSÃO

Para ser admitido na Escola de Jesus é necessário responder previamente as seguintes perguntas:

Escola de Discípulos

EXAME DE ADMISSÃO

Faça um círculo na sua resposta:

01.Estou disposto a aceitar Jesus como meu único Mestre, renunciando a qualquer outro que contradiga seus ensinamentos?

   SIM      NÃO

02.Estou disposto a segui-lo imediatamente e por toda a vida?

   SIM      NÃO

03.Estou disposto a renunciar a qualquer coisa, estrutura, privilégio ou pessoa que me afasta Dele?

   SIM      NÃO

04.Estou disposto a levar a cruz do serviço: já não viver para mim mesmo, mas sim para os demais?

   SIM      NÃO

       ___________________                    ____________________
   DATA                   ASSINATURA

AUTO AVALIAÇÃO
0 SIM e 4 NÃO = Não aceito na Escola de discipulado
1 SIM e 3 NÃO = Não aceito na Escola de discipulado
2 SIM e 2 NÃO = Não aceito na Escola de discipulado
3 SIM e 1 NÃO = Não aceito na Escola de discipulado
4 SIM e 0 NÃO = Única maneira de ser admitido na Escola de Jesus
O EXAME DE ADMISSÃO

- Quatro pré-requisitos que devem ser satisfeitos antes de começar o trabalho de formação de um discípulo, PREGADOR DA PALAVRA DE DEUS.
- São condições necessárias para ser admitido na escola do discipulado.
1- Ter um único mestre
2- Adesão imediata e definitiva
3- Renunciar aos obstáculos
4- Levar a Cruz
1) -Ter um único mestre
- Na Escola de Jesus, ele deve ser o único Mestre de todas as áreas.
- A primeira condição é renunciar a qualquer outro mestre que pretenda ensinar uma maneira diferente de viver.
- Seus Discípulos não o aceitam como um Mestre a mais, más sim como um único Mestre. Ele assim o exigiu:
              “Um só Mestre, Um só o vosso preceptor: Cristo. ”
- ” Não terás outro Deus além de mim, porque eu sou Iaweh teu Deus.”
- Moisés sugere odiar o inimigo, más Jesus ordena amá-lo.

 
- O mundo apresenta a felicidade através do dinheiro, do prazer, más Jesus a oferece mediante as bem-aventuranças.
- Jesus não admite meios termos. Ou frio ou quente, porque os mornos vomita de sua boca. Quem não está definitivamente com ele, está contra.
- Tem que ser o único de quem se aprenda.
- Não se pode andar de braço dado com Ele e ao mesmo tempo acenar para aderir aos critérios do mundo, aos ídolos, às modas passageiras.
2)-Adesão imediata e definitiva
- Seguir a Jesus é uma decisão que não admite espera nenhum atraso. Se dá logo que se ouve o chamado.
- Com Jesus, porque se trata de um Mestre especial: Ele exige uma resposta sem demoras.
- Não é preciso oferecer nenhum sacrifício antes de segui-lo, pois crer Nele é a obra mais importante que se pode realizar e que vale mais do que todas as ofertas deste mundo.
- O Mestre exige um acompanhamento imediato, deixando o dinheiro sobre a mesa dos impostos ou as redes cheias de peixes.
- De outro modo não se pode ser um autêntico discípulo seu.
- A razão é muito simples: Se não se é capaz de segui-lo assim, é porque ainda não o valorizamos devidamente.
- Jesus não admite estar em segundo lugar.
- Se não começa bem, não se pode chegar à meta.
- A opção por Jesus: Livremente se decide segui-lo, más uma vez decidido, perde-se a liberdade de regressar.
- Quem opta por Jesus, está apertando o cinto, para não mais voltar atrás.
- Na escola de Jesus, não se ingressa apenas para uma etapa., nem para certos dias contados, nem para certos lugares.
- A pessoa é discípulo por toda a vida.
- Jesus não admite seguidores dominicais ou por alguns anos.
- Assim a Segunda condição para alguém ser admitido na escola de Jesus, é estar disposto a segui-lo imediatamente e por toda a vida.
- Quem põe a sua mão no arado, não pode olhar para trás.
3)- Renunciar aos obstáculos
- Seguir o mestre implica necessariamente na renúncia a tudo o que impeça essa decisão.
A – Renúncia aos laços familiares.
“Se alguém vem a mim e prefere seu pai, sua mãe, sua mulher e filhos, seus irmãos e irmãs e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo”.(Lc 14,26)
- Não se trata de renunciar à família porque ela seja má, porém quando chega a constituir um impedimento para servir livremente o Reino.
- Quando certos costumes ou tradições familiares nos sujeitam, se tem de optar definitivamente pelo Mestre.
- A relação com o Mestre deve estar acima de qualquer laço afetivo deste mundo.
- No entanto, isto não significa que devemos abandonar o lar. seguir a Jesus para fugir das responsabilidades, não é válido, nem justificável.
- Trata-se de um chamado que exige renúncia, não para amar menos, más para amar mais. Nada deve limitar o amor de um discípulo.
B- Renúncia ao plano de vida .
- Jesus falou a Simão Pedro e a André: Vinde comigo e Eu os farei pescadores de homens
- Assim desde aquele momento, a barca de Pedro está a serviço da pregação e para o transporte da comunidade e não para o uso exclusivo do pescador de Cafarnaum.
- Sua casa também se converte num lugar de descanso e de trabalho do Mestre.
- Jesus exige uma mudança total na vida de seus seguidores
- Assim o Discípulo já não dispõe de seus planos, do tempo, nem do fruto do seu trabalho para seu benefício exclusivo, porém ao aderir a Jesus Cristo, integra-se à sua obra salvífica e agora serve a outro.

 
C – Renúncia aos bens materiais
- Entre os obstáculos que mais impedem a adesão completa a Jesus, está a preocupação pelas coisas deste mundo.
- Jesus disse que não se pode servir a dois senhores, pois é impossível atender a Deus e ao dinheiro.
- O cuidado das riquezas deste mundo afoga a semente da palavra e não lhe permite frutificar.
- O Mestre exige de seus discípulos que não amontoem riquezas que a ferrugem destrói e os ladrões roubam.
- A cobiça compete com o ensino do mestre.
- O próprio Jesus é o modelo; sendo rico se fez pobre.
- Não tinha onde reclinar a cabeça.
- Por isso seus discípulos devem correr o mundo sem bagagem que os embarace, nem dinheiro em que confiam.
- Alguns discípulos renunciaram explicitamente a seus bens materiais. Mateus, Tiago, João, Zaqueu, Barnabé, etc.
- Outros colocaram suas posses à inteira disposição do Mestre, a casa de Lázaro, a barca de Pedro, os bens das mulheres.
- Jesus pede a cada um, nunca depender das riquezas.
- A pobreza evangélica é voluntária, de maneira alguma, podemos identificá-la com aquela que é fruto da injustiça e do pecado.
- Não se trata de aceitar o ser empobrecido pela ambição de outros, más, optar livremente por viver sem depender das coisas deste mundo.
- Não se trata de ser pobre, más, de ser como Jesus que é pobre.

D- Renúncia às honras do mundo
- O discípulo sabe que possui o título mais glorioso e por isso não anda mendigando glórias transitórias ou supérfluas.
- Sabendo que é filho do Rei, não fundamenta sua dignidade, nem seu valor em títulos tais como: líder, superior, gerente.
- Quem não renuncia às honras vãs do mundo não pode seguir as pegadas de Jesus de Nazaré.
E – Renúncia das honras eclesiásticas 
- As vãs honrarias do mundo são mais perigosas quando se disfarçam de privilégios eclesiásticos, títulos honoríficos e autoridade exercida com atitude de superioridade, no lugar da atitude de serviço.
- Ministros, catequistas, leitores etc.
4) – Levar a cruz
- E quem não carrega a sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo.
- Levar a Cruz é estar disposto a entregar a vida.
- É necessário morrer a si mesmo, para poder ser discípulo de Jesus.
- Morrer para nós significa já não viver para nós mesmos, nem buscar nenhuma vantagem de ordem pessoal, más estar à disposição do reino e seus interesses.
Conclusão.
- Estes quatro requisitos não nos tornam discípulos, más que são simplesmente as condições para fazer parte do sistema do discipulado.
- Sem eles nem sequer seríamos admitidos ao lado do Mestre, pois Ele perderia lamentavelmente seu tempo com quem não apresentasse esses pré -requisitos fundamentais.

 

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor./ Bendirei ao Senhor toda a vida! – 9/9/2012

 

 

Primeira Leitura (Is 35,4-7a)

Leitura do Livro do profeta Isaías:

4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”.

5Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. 7aA terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes de água.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 145)

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor./ Bendirei ao Senhor toda a vida!

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor./ Bendirei ao Senhor toda a vida!

— O Senhor é fiel para sempre,/ faz justiça aos que são oprimidos;/ ele dá alimento aos famintos,/ é o Senhor quem liberta os cativos.

— O Senhor abre os olhos aos cegos,/ o Senhor faz erguer-se o caído/ o Senhor ama aquele que é justo,/ é o Senhor quem protege o estrangeiro.

— Ele ampara a viúva e o órfão,/ mas confunde os caminhos dos maus./ O Senhor reinará para sempre!/ Ó Sião, o teu Deus reinará/ para sempre e por todos os séculos!
Segunda Leitura (Tg 2,1-5)

Leitura da Carta de São Tiago:

1Meus irmãos: a fé que tendes em nosso Senhor Jesus Cristo glorificado não deve admitir acepção de pessoas.

2Pois bem, imaginai que na vossa reunião entra uma pessoa com anel de ouro no dedo e bem vestida, e também um pobre, com sua roupa surrada, 2e vós dedicais atenção ao que está bem vestido, dizendo-lhe: “Vem sentar-te aqui, à vontade”, enquanto dizeis ao pobre: “Fica aí, de pé”, ou então: “Senta-te aqui no chão, aos meus pés”, 4não fizestes, então, discriminação entre vós? E não vos tornastes juízes com critérios injustos?

5Meus queridos irmãos, escutai: não escolheu Deus os pobres deste mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam?

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!
Aclamação ao Evangelho

(Música igual à faixa 10, CD “Liturgia VI”)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis)

Tanta coisa boa fez/ e bem feito ele fez tudo,/ fez os surdos escutarem,/ ele fez falar o mudo!
Evangelho (Mc 7,31-37)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole.

32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão.

33Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer: “Abre-te!”

35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade.

36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam.

37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: Aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!

 

 

— Exulto de alegria no Senhor. – 8/9/2012

 
Primeira Leitura (Mq 5,1-4a)

Leitura da Profecia de Miquéias.

Assim diz o Senhor: 1”Tu, Belém de Éfrata, pequenina entre os mil povoados de Judá, de ti há de sair aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade. 2Deus deixará seu povo ao abandono, até ao tempo em que uma mãe der à luz; e o resto de seus irmãos se voltará para os filhos de Israel. 3Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor e com a majestade do nome do Senhor seu Deus; os homens viverão em paz, pois ele agora estenderá o poder até aos confins da terra, 4e ele mesmo será a paz”

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Ou (escolhe-se uma das leituras)
Primeira Leitura (Rm 8,28-30)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos, 28sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados para a salvação, de acordo com o projeto de Deus. 29Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos. 30E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos; e aos que tornou justos, também os glorificou.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 70,6;12,6)

— Exulto de alegria no Senhor.

— Exulto de alegria no Senhor.

— Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo: para vós o meu louvor eternamente!

— Uma vez que confiei no vosso amor, meu coração, por vosso auxílio, rejubile, e que eu vos cante pelo bem que me fizestes!
Aclamação

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Sois feliz, Virgem Maria; e mereceis todo louvor; pois de vós se levantou, o Sol brilhante da justiça, que é Cristo, nosso Deus, pelo qual nós fomos salvos!
Evangelho (Mt 1,18-23)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.
18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.

19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

— A salvação de quem é justo vem de Deus. – 7/9/2012

 

 

Primeira Leitura (1Cor 4,1-5)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 1que todo o mundo nos considere como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. 2A este respeito, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis. 3Quanto a mim, pouco me importa ser julgado por vós ou por algum tribunal humano. Nem eu me julgo a mim mesmo. 4É verdade que a minha consciência não me acusa de nada. Mas não é por isso que eu posso ser considerado justo. 5Quem me julga é o Senhor. Portanto, não queirais julgar antes do tempo. Aguardai que o Senhor venha. Ele iluminará o que estiver escondido nas trevas e manifestará os projetos dos corações. Então, cada um receberá de Deus o louvor que tiver merecido.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 36)

— A salvação de quem é justo vem de Deus.

— A salvação de quem é justo vem de Deus.

— Confia no Senhor e faze o bem, e sobre a terra habitarás em segurança. Coloca no Senhor tua alegria, e ele dará o que pedir teu coração.

— Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; confia nele, e com certeza ele agirá. Fará brilhar tua inocência como a luz, e o teu direito, como o sol do meio-dia.

— Afasta-te do mal e faze o bem, e terás tua morada para sempre. Porque o Senhor Deus ama a justiça, e jamais ele abandona os seus amigos.

— A salvação dos piedosos vem de Deus; ele os protege nos momentos de aflição. O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, defende-os e protege-os contra os ímpios, e os guarda porque nele confiaram.
Aclamação (Lc 4,18)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o Evangelho.
Evangelho (Lc 5,33-39)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 33os fariseus e os mestres da Lei disseram a Jesus: “Os discípulos de João, e também os discípulos dos fariseus, jejuam com frequência e fazem orações. Mas os teus discípulos comem e bebem”. 34Jesus, porém, lhes disse: “Os convidados de um casamento podem fazer jejum enquanto o noivo está com eles? 35Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, naqueles dias, eles jejuarão”.

36Jesus contou-lhes ainda uma parábola: “Ninguém tira retalho de roupa nova para fazer remendo em roupa velha; senão vai rasgar a roupa nova, e o retalho novo não combinará com a roupa velha. 37Ninguém põe vinho novo em odres velhos; porque, senão, o vinho novo arrebenta os odres velhos e se derrama; e os odres se perdem. 38Vinho novo deve ser posto em odres novos. 39E ninguém, depois de beber vinho velho, deseja vinho novo; porque diz: o velho é melhor”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra. – 6/9/2012

 
Primeira Leitura (1Cor 3,18-23)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo ao Coríntios.

Irmãos, 18ninguém se iluda: Se algum de vós pensa que é sábio nas coisas deste mundo, reconheça sua insensatez, para se tornar sábio de verdade; 19pois a sabedoria deste mundo é insensatez diante de Deus. Com efeito, está escrito: “Ele apanha os sábios em sua própria astúcia”, 20e ainda: “O Senhor conhece os pensamentos dos sábios; sabe que são vãos”.

21Portanto, que ninguém ponha a sua glória em homem algum. Com efeito, tudo vos pertence: 22Paulo, Apolo, Cefas, o mundo, a vida, a morte, o presente, o futuro, tudo é vosso, 23mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 23)

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra.

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra.

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; porque ele a tornou firme sobre os mares, e sobre as águas a mantém inabalável.

— “Quem subirá até o monte do Senhor, quem ficará em sua santa habitação?” “Quem tem mãos puras e inocente coração, quem não dirige sua mente para o crime.

— Sobre este desce a bênção do Senhor e a recompensa de seu Deus e Salvador.” “É assim a geração dos que o procuram, e do Deus de Israel buscam a face.”
Aclamação (Mt 4,19)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Vinde após mim, disse o Senhor, e eu ensinarei a pescar gente.
Evangelho (Lc 5,1-11)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.
Naqueles tempo, 1Jesus estava na margem do lago de Genesaré, e a multidão apertava-se a seu redor para ouvir a palavra de Deus. 2Jesus viu duas barcas paradas na margem do lago. Os pescadores haviam desembarcado e lavavam as redes. 3Subindo numa das barcas, que era de Simão, pediu que se afastasse um pouco da margem. Depois sentou-se e, da barca, ensinava as multidões.

4Quando acabou de falar, disse a Simão: “Avança para águas mais profundas, e lançai vossas redes para a pesca”. 5Simão respondeu: “Mestre, nós trabalhamos a noite inteira e nada pescamos. Mas, em atenção à tua palavra, vou lançar as redes”. 6Assim fizeram, e apanharam tamanha quantidade de peixes que as redes se rompiam. 7Então fizeram sinal aos companheiros da outra barca, para que viessem ajudá-los. Eles vieram, e encheram as duas barcas, a ponto de quase afundarem.

8Ao ver aquilo, Simão Pedro atirou-se aos pés de Jesus, dizendo: “Senhor, afasta-te de mim, porque sou um pecador!” 9É que o espanto se apoderara de Simão e de todos os seus companheiros, por causa da pesca que acabavam de fazer. 10Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram sócios de Simão, também ficaram espantados. Jesus, porém, disse a Simão: “Não tenhas medo! De hoje em diante tu serás pescador de homens”. 11Então levaram as barcas para a margem, deixaram tudo e seguiram a Jesus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança! – 5/9/2012

Primeira Leitura (1Cor 3,1-9)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.

1Irmãos, não pude falar-vos como a pessoas espirituais. Tive de vos falar como a pessoas carnais, como a crianças na vida em Cristo. 2Pude oferecer-vos somente leite, não alimento sólido, pois ainda não éreis capazes de tomá-lo. E nem atualmente sois capazes de receber alimento sólido, 3visto que ainda sois carnais. As rivalidades e rixas que existem aí, no meio de vós, acaso não mostram que sois carnais e que procedeis de acordo com os impulsos naturais?

4Quando um declara: “Eu sou de Paulo”, e outro: “Eu sou de Apolo”, não estais procedendo como pessoas simplesmente naturais? 5Pois, que é Apolo? que é Paulo? Não passam de servidores, pelos quais chegastes à fé. E cada um deles exerce seu serviço segundo o dom recebido de Deus. 6Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é que fazia crescer. 7De modo que nem o que planta, nem o que rega são, propriamente, importantes. Quem é importante é aquele que faz crescer: Deus.

8Aquele que planta e aquele que rega formam uma unidade, mas cada um receberá o seu próprio salário, proporcional ao seu trabalho. 9Com efeito, nós somos cooperadores de Deus, e vós sois lavoura de Deus, construção de Deus.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 32)

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

— Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança! Dos altos céus o Senhor olha e observa; ele se inclina para olhar todos os homens.

— Ele contempla do lugar onde reside e vê a todos os que habitam sobre a terra. Ele formou o coração de cada um e por todos os seus atos se interessa.

— No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Por isso o nosso coração se alegra nele, seu santo nome é nossa única esperança.
Aclamação (Lc 4,18)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o Evangelho.
Evangelho (Lc 4,38-44)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 38Jesus saiu da sinagoga e entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava sofrendo com febre alta, e pediram a Jesus em favor dela. 39Inclinando-se sobre ela, Jesus ameaçou a febre, e a febre a deixou. Imediatamente, ela se levantou e começou a servi-los.

40Ao pôr do sol, todos os que tinham doentes atingidos por diversos males, os levaram a Jesus. Jesus punha as mãos em cada um deles e os curava. 41De muitas pessoas também saíam demônios, gritando: “Tu és o Filho de Deus”. Jesus os ameaçava, e não os deixava falar, porque sabiam que ele era o Messias.

42Ao raiar do dia, Jesus saiu e foi para um lugar deserto. As multidões o procuravam e, indo até ele, tentavam impedi-lo de as deixar. 43Mas Jesus disse: “Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus também a outras cidades, porque para isso é que eu fui enviado”. 44E pregava nas sinagogas da Judeia.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

— Senhor, quem morará em vossa casa/ e no vosso monte santo habitará? – 2/9/2012

 

Primeira Leitura (Dt 4,1-2.6-8)

Leitura do Livro do Deuteronômio:

1Moisés falou ao povo, dizendo: “Agora, Israel, ouve as leis e os decretos que eu vos ensino a cumprir, para que, fazendo-o, vivais e entreis na posse da terra prometida pelo Senhor Deus de vossos pais.

2Nada acrescenteis, nada tireis à palavra que vos digo, mas guardai os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que vos prescrevo.

6Vós os guardareis, pois, e os poreis em prática, porque neles está vossa sabedoria e inteligência perante os povos, para que, ouvindo todas estas leis, digam: ‘Na verdade, é sábia e inteligente esta grande nação!’ 7Pois, qual é a grande nação cujos deuses lhe são tão próximos, como o Senhor nosso Deus, sempre que o invocamos? 8E que nação haverá tão grande que tenha leis e decretos tão justos, como esta lei que hoje vos ponho diante dos olhos?”

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!
Responsório (Sl 14)

 

— Senhor, quem morará em vossa casa/ e no vosso monte santo habitará?

— Senhor, quem morará em vossa casa/ e no vosso monte santo habitará?

— É aquele que caminha sem pecado/ e pratica a justiça fielmente;/ que pensa a verdade no seu íntimo/ e não solta em calúnias sua língua.

— Que em nada prejudica o seu irmão,/ nem cobre de insultos seu vizinho;/ que não dá valor algum ao homem ímpio,/ mas honra os que respeitam o Senhor.

— Não empresta o seu dinheiro com usura,/ nem se deixa subornar contra o inocente./ Jamais vacilará quem vive assim!
Segunda Leitura (Tg 1,17-18.21b-22.27)

Leitura da Carta de São Tiago:

Irmãos bem-amados: 17Todo dom precioso e toda dádiva perfeita vêm do alto; descem do Pai das luzes, no qual não há mudança nem sombra de variação.

18De livre vontade ele nos gerou, pela Palavra da verdade, a fim de sermos como que as primícias de suas criaturas.

21bRecebei com humildade a Palavra que em vós foi implantada , e que é capaz de salvar as vossas almas. 22Todavia, sede praticantes da Palavra e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

27Com efeito, a religião pura e sem mancha diante de Deus Pai é esta: assistir os órfãos e as viúvas em suas tribulações e não se deixar contaminar pelo mundo.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!
Aclamação ao Evangelho

(Música igual à faixa 10, CD “Liturgia VI”)

 

Teu caminho, ó Senhor,/ teu caminho me alumia,/ e por uma estrada reta/ me conduz, Senhor, e guia!
Evangelho (Mc 7,1-8.14-15.21-23)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, 1os fariseus e alguns mestres da Lei vieram de Jerusalém e se reuniram em torno de Jesus.

2Eles viam que alguns dos seus discípulos comiam o pão com as mãos impuras, isto é, sem as terem lavado. 3Com efeito, os fariseus e todos os judeus só comem depois de lavar bem as mãos, seguindo a tradição recebida dos antigos. 4Ao voltar da praça, eles não comem sem tomar banho. E seguem muitos outros costumes que receberam por tradição: a maneira certa de lavar copos, jarras e vasilhas de cobre.

5Os fariseus e os mestres da Lei perguntaram então a Jesus: “Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos, mas comem o pão sem lavar as mãos?”

6Jesus respondeu: “Bem profetizou Isaías a vosso respeito, hipócritas, como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim. 7De nada adianta o culto que me prestam, pois as doutrinas que ensinam são preceitos humanos’. 8Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens”.

14Em seguida, Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai, todos, e compreendei: 15o que torna impuro o homem não é o que entra nele vindo de fora, mas o que sai do seu interior. 21Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, 22adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. 23Todas estas coisas más saem de dentro, e são elas que tornam impuro o homem”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!

 

 

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança! – 1/9/2012

 

 
Primeira Leitura (1Cor 1,26-31)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.

26Irmãos, considerai vós mesmos como fostes chamados por Deus. Pois entre vós não há muitos sábios de sabedoria humana nem muitos poderosos nem muitos nobres. 27Na verdade, Deus escolheu o que o mundo considera como estúpido, para assim confundir os sábios; Deus escolheu o que o mundo considera como fraco, para assim confundir o que é forte.

28Deus escolheu o que para o mundo é sem importância e desprezado, o que não tem nenhuma serventia, para assim mostrar a inutilidade do que é considerado importante, 29para que ninguém possa gloriar-se diante dele. 30É graças a ele que vós estais em Cristo Jesus, o qual se tornou para nós, da parte de Deus: sabedoria, justiça, santificação e libertação, 31para que, como está escrito, “quem se gloria, glorie-se no Senhor”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 32)

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

— Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

— Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança! Dos altos céus o Senhor olha e observa; ele se inclina para olhar todos os homens.

— Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.

— No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Por isso o nosso coração se alegra nele, seu santo nome é nossa única esperança.
Aclamação (Jo 13,34)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Eu vos dou novo preceito: que uns aos outros vos ameis, como eu vos tenho amado.
Evangelho (Mt 25,14-30)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 14“Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou. 16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles, e lucrou outros cinco.

17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois. 18Mas aquele que havia recebido um só saiu, cavou um buraco na terra, e escondeu o dinheiro do seu patrão. 19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados. 20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhes mais cinco, dizendo: ‘Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei’.

21O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’ 22Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: ‘Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei’. 23O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’

24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: ‘Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’. 26O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? 27Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’.

28Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!’”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

Maria Santíssima

 

Querem encontrar uma pessoa completa?

 

 Depois de Jesus, olhem para Maria Santíssima.

 Ninguém foi tão repleta do Espírito Santo como ela.

 Examinemos portanto nossas imagens, nossas pinturas, nossos terços, sem desprezá-los ou jogá-los fora, vamos dar a estes objetos, o sentido pedagógico.

Eles existem para nos ajudar a rezar.

Se a imagem negra de N. Sra. Aparecida, atrapalhar nossa oração, não nos preocupemos com ela.

Mas se ela nos ajudar a lembrar de Maria Santíssima, que assumiu a cor dos negros no Brasil quando ainda eles eram escravos; ela que assumiu também no México a cor dos índios, quando ainda eles eram escravos; ela que aparece aos pobres, pequenos e marginalizados, então vamos entender a estátua de Maria pobre.

 E o nosso culto mariológico não será idolátrico. Porque estátua, normalmente é para nos lembrar de gente pobre, gente sofrida, gente escravizada, gente marginalizada. Maria é a maior rebelde da história depois de Jesus.

 Ela é a maior revolucionária da história depois de Jesus, com seu jeito silencioso de mudar as coisas. Em sua quietude, assume o lado dos pequenos, pobres e sofridos, por isso no Brasil ela aparece negra, cor dos escravos, pobres e marginalizados…

Ao invés de condenarmos, reeduquemos para o uso dos objetos ungidos. Que eles nos façam sentir o nosso Deus que assume a nossa fraqueza e pequenez. Procuremos atender os pedidos de Maria Santíssima, a pequena que foi até Deus, mas nunca fica entre nós e ele.

Maria assumiu o martírio cotidiano como ninguém depois de Jesus.

Por isso ela é a rainha dos Mártires. Depois de Jesus, poucas pessoas sofreram no coração, dor maior, como Maria Santíssima sofreu ao pé da cruz e ao pé de cada maternidade que acontece neste planeta.

Mãe é outra palavra para o martírio. Vamos dar um lugar para Maria Santíssima na nossa fé, um carinho e um louvor especiais para a primeira de todos os cristãos.

 Um afeto carinhoso para a mulher que é modelo de cristianismo, como foi modelo de judaísmo. Se Deus tem um feminino, Deus se projetou em Maria. Olhar em sua direção é aprender com ela a ser mais pessoa como Jesus e em Jesus.

Por isso irmãos, assumamos a renovação no Espírito Santo, todos os dias de nossas vidas, mas, não jogue fora a devoção à Virgem Maria do Espírito Santo, mãe de Jesus Cristo.

 Não podemos desprezar aquela em que o Espírito Santo gerou Jesus.

— Transborda em toda a terra a bondade do Senhor! – 31/8/2012

 
Primeira Leitura (1Cor 1,17-25)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 17de fato, Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar a Boa Nova da salvação, sem me valer dos recursos da oratória, para não privar a cruz de Cristo da sua força própria. 18A pregação a respeito da cruz é uma insensatez para os que se perdem, mas para os que se salvam, para nós, ela é poder de Deus.

19Com efeito, está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e frustrarei a perspicácia dos inteligentes”. 20Onde está o sábio? Onde o mestre da Lei? Onde o questionador deste mundo? Acaso Deus não mostrou a insensatez da sabedoria do mundo? 21De fato, na manifestação da sabedoria de Deus, o mundo não chegou a conhecer Deus por meio da sabedoria; por isso, Deus houve por bem salvar os que creem por meio da insensatez da pregação.

22Os judeus pedem sinais milagrosos, os gregos procuram sabedoria; 23nós, porém, pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e insensatez para os pagãos. 24Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, esse Cristo é poder de Deus e sabedoria de Deus. 25Pois o que é dito insensatez de Deus é mais sábio do que os homens, e o que é dito fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.
Responsório (Sl 32)

— Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

— Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo. Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o!

— Pois reta é a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

— O Senhor desfaz os planos das nações e os projetos que os povos se propõem. Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar.
Aclamação (Lc 21,36)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Vigiai e orai para ficardes de pé, ante o Filho do Homem!
Evangelho (Mt 25,1-13)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: 1“O Reino dos Céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. 2Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes.

3As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. 4As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. 5O noivo estava demorando e todas elas acabaram cochilando e dormindo. 6No meio da noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo está chegando. Ide a seu encontro!’ 7Então as dez jovens se levantaram e prepararam as lâmpadas. 8As imprevidentes disseram às previdentes: ‘Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando’.

9As previdentes responderam: ‘De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar aos vendedores’. 10Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. 11Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!’ 12Ele, porém, respondeu: ‘Em verdade eu vos digo: Não vos conheço!’ 13Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia, nem a hora”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.